Madeira Desafia
A melhor ilha da Europa 2018+ info
Continuar a descobrir

Quando visitar a Madeira vai sentir que uma caminhada é muito mais do que um simples percurso. É uma intensa experiência ao ar livre, em que tudo é mágico e fascinante.

Para alcançar as paisagens mais fantásticas e surpreendentes, nada melhor do que percorrer o terreno a pé ao longo dos trilhos pedestres junto das “levadas”. As “levadas” são canais de irrigação que foram construídos no passado, para trazer grandes quantidades de água das vertentes norte, onde esta existia em abundância, para o lado sul da ilha.

Hoje em dia, estes canais continuam a funcionar com esta função e são também muito utilizados para caminhadas e passeios a pé, em contacto pleno com a Natureza.

Descubra esta e outras atividades

Os nossos trilhos apresentam atividades únicas, aliciantes e com as paisagens mais belas do mundo. Absorva cada detalhe deste fantástico ambiente e da beleza que o rodeia e descubra estas atividades ao seu próprio ritmo! 

Saiba mais

Aceda ao coração profundo no interior da ilha enquanto acompanha estes trilhos e canais de irrigação primitivos.

Por toda a Madeira existem vários tipos de percursos e trilhos. Uns mais fáceis, ideais para principiantes ou para quem quer simplesmente passear e desfrutar de uma fascinante experiência ao ar livre, outros com um maior nível de exigência, mas que também deslumbram pela sua exuberância. Ao todo são mais de 2000 km de levadas para explorar, desde os 0 aos 1861 metros, sendo que na cordilheira central e no norte da ilha encontram-se mais percursos em áreas de montanha e a Sul encontram-se os percursos mais acessíveis.

Onde Marcar

spots

Desertas
Porto Santo
Madeira

Levadas

Vereda da Ribeira da Janela

Dificuldade
Médio
Distância:
2,7 km
Duração:
1h30
Descrição:

Este traçado, que se inicia junto à Estrada Regional 209, na zona do Curral Falso, e termina junto ao núcleo populacional da Ribeira da Janela, é feito, quase na sua totalidade, pela encosta abaixo. Esta vereda foi outrora utilizada pela população para aceder às localidades da zona Sul, nomeadamente à Calheta e à Ponta do Sol. Na Ribeira da Janela poderá observar a área agrícola, construída nos peculiares poios, suportados por muros de pedra laboriosamente trabalhados pelo homem. O nome da localidade “Ribeira da Janela” provém do facto de constituir o mais extenso curso de água da ilha da Madeira, com aproximadamente 15 700 m. Neste local poderá avistar o Pombo Trocaz (Columba trocaz), ave endémica exclusiva da Madeira. Na época das migrações poderá também encontrar algumas aves como a Garça Branca (Egretta garzetta) ou o Pato Real (Anas platyrhynchos). Este trilho permite a ligação ao PR 14 – Levada dos Cedros e ao PR 13 – Vereda do Fanal, ambos os percursos com acesso à zona do Fanal.

Levada dos Cedros

Dificuldade
Médio
Distância:
5,8 km
Duração:
3h
Descrição:

Este espetacular trilho tem início no Fanal, no planalto do Paúl da Serra, e atravessa a floresta Laurissilva. Com início na Estrada Regional 209, junto à zona do Fanal e acompanhando a Levada dos Cedros, este passeio dá acesso à freguesia da Ribeira da Janela através da ligação ao PR 15 – Vereda da Ribeira da Janela. Na magnífica zona do Fanal, pequena caldeira vulcânica de uma beleza rara, encontrará centenários bosques de Tis (Ocotea foetens). A Levada dos Cedros, construída no século XVII, tem a sua origem nos afloramentos hídricos do Lombo do Cedro, a 1000 metros de altitude. Ao percorrer esta levada encontrará algumas das seguintes espécies indígenas: Tis (Ocotea foetens), Folhados (Clethra foetens), Loureiros (Laurus Nova canariensis), Vinháticos (Persea indica) ou Uveira da Serra (Vaccinium padifolium). Desde a sua origem, o traçado desta levada desenvolve-se sempre pela declivosa encosta da margem direita da Ribeira da Janela até ao sítio da Entrosa, para depois fletir em direção a norte, até atingir o seu termo no Curral Falso.

Vereda do Fanal

Dificuldade
Médio
Distância:
10,8 km
Duração:
4h
Descrição:

Este percurso tem início na Estrada Regional 209, no planalto do Paúl da Serra (Assobiadores), e termina junto ao Posto Florestal do Fanal, possibilitando ainda o acesso à Freguesia da Ribeira da Janela através dos percursos PR 14 – Levada dos Cedros e PR 15 – Vereda da Ribeira da Janela. Esta vereda insere-se numa área de coberto florestal originário da Madeira, em exuberante estado de conservação, a Floresta Laurissilva, classificada como Património Mundial Natural pela UNESCO, e que integra a Rede Europeia de Sítios de Importância Comunitária – Rede Natura 2000. Aproveite a magnífica área do Fanal, pequena caldeira vulcânica, classificada de “Reserva de Repouso e Silêncio” pelo Parque Natural da Madeira, para usufruir de um momento de puro relaxamento. A sua beleza reside não só nos imponentes e centenários bosques de Tis (Ocotea foetens), realçando-se alguns exemplares que resistem desde o descobrimento da ilha, como também nas espetaculares paisagens visíveis desde os miradouros.

Caminho Real da Encumeada

Dificuldade
Médio
Distância:
12,5 km
Duração:
6h30
Descrição:

Este trilho tem início no miradouro da Boca da Encumeada e atravessa parte do Maciço Montanhoso Central, junto à base dos picos mais altos da ilha da Madeira. Sendo originariamente um “Caminho Real” calcetado, constituía-se como uma das vias principais para a movimentação de pessoas na ilha. Por entre a paisagem, poderá observar o vale do Curral das Freiras, uma pequena vila circundada por grandes montanhas, outrora refúgio das Freiras do Convento de Santa Clara, aquando da invasão dos piratas à cidade do Funchal em 1566. Ao longo do passeio, encontrará cursos de água que ajudam a alimentar a vegetação local que integra a Laurissilva, como o Loureiro (Laurus novocanariensis), o Vinhático (Persea indica), Tis centenários (Ocotea foetens) e as Estreleiras (Argyranthemum pinnati fidum). Relativamente à avifauna indígena, poderá observar aves como o Bis-bis (Rugulus ignicapillus madeirensis), a Manta (Buteo buteo harferti), o Francelho (Falco tinnunculus canariensis), o Pombo Trocaz (Columba trocaz) e a Lavandeira (Motocilla cinerea).

Vereda dos Balcões

Dificuldade
Fácil
Distância:
1,5 km (+ 1,5 km de regresso)
Duração:
1h30
Descrição:

Com início no Ribeiro Frio, na Estrada Regional 103, este pequeno trilho segue a Levada da Serra do Faial, dando acesso ao miradouro dos Balcões e às vistas sobre o vale da Ribeira da Metade e da freguesia do Faial. No miradouro dos Balcões deparar-se-á com um esplêndido cenário coberto pelos vales verdejantes da Floresta Laurissilva, floresta indígena da Madeira que assume a sua importância no ecossistema como “produtora” de água. Ao longo desta levada predominam variadas espécies endémicas, como Loureiros (Laurus novocanariensis), Vinháticos (Persea indica) ou Orquídeas da Serra (Dactylorhiza foliosa) e árvores exóticas, como os Carvalhos (Quercus robur) e os Plátanos (Platanus x acreifolia). Ao passear poderá também avistar aves como o Bis-bis (Regulus ignicapillus madeirensis), o Tentilhão (Frigilla coelebs madeirensis), a Manta (Buteo buteo harterti) ou o raríssimo Pombo Trocaz (Columba trocaz). Em dias de boa visibilidade, poderá avistar a Cordilheira Central e os picos mais altos da Madeira, o Pico Ruivo, o Pico do Areeiro, o Pico Gato e o Pico das Torres.

Levada do Furado

Dificuldade
Médio
Distância:
11 km
Duração:
5h
Descrição:

Esta levada, com início no Ribeiro Frio, é uma das mais antigas levadas públicas, adquirida pelo Estado para irrigar os campos agrícolas do Porto da Cruz. Este trilho, que corre ao longo de uma cota de 860 m de altitude, termina com uma descida até à Portela. No início do passeio, o caminhante deverá acompanhar a esplanada da Levada da Serra do Faial até à casa de divisão de águas, descendo depois até à zona dos Lamaceiros. O percurso acaba no miradouro da Portela, no concelho de Machico. Ao longo desta levada podemos contemplar algumas das espécies da floresta natural da ilha – a Floresta Laurissilva, nomeadamente o Loureiro (Laurus novocanariensis), o Folhado (Clethra arborea), o Til (Ocotea foetens) ou a Orquídea da Serra (Dactylorhiza foliosa). Também é possível avistar o pequeno Bis-bis (Regulus ignicapillus madeirensis) e o destemido Tentilhão (Fringilla coelebs madeirensis). Com sorte, poderá encontrar o Pombo Trocaz (Columba Trocaz), espécie endémica da Madeira.

Levada do Caldeirão Verde

Dificuldade
Médio
Distância:
6,5 km (+ 6,5 km de regresso)
Duração:
5h30
Descrição:

Esta levada, que constitui uma impressionante obra de arte, construída no séc. XVIII, inicia-se no Parque Florestal das Queimadas e desenrola-se ao longo da esplanada da Levada do Caldeirão Verde, a 980 m de altitude, no concelho de Santana. Construída para fins agrícolas, a levada conduz o caminhante até ao interior do vale profundo da Ribeira de São Jorge, oferecendo espetaculares cenários da orografia do interior da ilha e do engenho do homem. Ao longo do passeio irá encontrar excelentes exemplares de Criptomérias elegantes (Cryptomeria japonica), Faias Europeias (Fagus sylvatica), Cedros da Madeira (Juniperus cedrus), Folhados (Clethra arborea), Uveira da Serra (Vaccinium padifolium), Pau Branco (Picconia excelsa), Urzes centenárias (Erica scoparia), entre outras espécies. Quanto à avifauna indígena, poderá avistar o Tentilhão (Frigilla coelebs madeirensis), o Bis-bis (Regulus ignicapillus madeirensis) ou o Pombo Trocaz (Columba trocaz trocaz), entre outros. Percorridos os 4 túneis do percurso, o Caldeirão Verde surge à esquerda da levada. Para chegar ao lago do Caldeirão Verde, que é formado pela água projetada verticalmente do leito do ribeiro a uma altura de cerca de 100 metros, basta subir alguns metros pelo seu leito.

Vereda da Ponta de São Lourenço

Dificuldade
Médio
Distância:
4 km (+ 4 km Rückweg)
Duração:
2.30 Std
Descrição:

Der Pfad führt über die Ponta de S. Lourenço, ein Halbinsel im Osten Madeiras, die ihren Namen der Karavelle von João Gonçalves de Zarco verdankt, einem der drei Entdecker der Insel. Die Halbinsel vulkanischen Ursprungs umfasst die Ilhéu da Cevada, auch Ilhéu dos Desembarcadouros genannt, und die Ilhéu da Ponta de S. Lourenço. Ab der Einfriedung „Muro de Pedra da Baía d´Abra“ gehört das gesamte Gebiet der Regionalregierung und ist Teil des Naturpark von Madeira. Die Halbinsel wurde teilweise, die kleine Insel Desembarcadouro vollständig zum Naturreservat erklärt. Beide sind Teil des europäischen Naturschutznetzes Natura 2000. Aufgrund des sehr trockenen Klimas und des hier herrschenden Nordwinds hat sich hier eine baumlose Bodenflora entwickelt, so dass sich die Landschaft hier vom Rest der Insel unterscheidet. Die Flora umfasst zahlreiche endemische Pflanzenarten, die nur auf der Insel Madeira vorkommen. Bei der Fauna ist, neben anderen Vögel, auf eine der größten Möwenkolonien (Larus cachinnans atlantis) hinzuweisen. Im Süden sind die Ilhas Desertas am Horizont zu erkennen, im Norden die Insel Porto Santo.

Levada do Moinho

Dificuldade
Médio
Distância:
10,3 km
Duração:
3h30
Descrição:

Este trilho inicia-se na estrada regional E.R.101, junto à Ribeira da Cruz que separa os concelhos do Porto Moniz e da Calheta. A partir da estrada é necessário subir uma vereda até atingir a levada. Caminhando no sentido contrário ao das águas, poderá visitar uma das nascentes que abastecem esta levada. Para seguir para a Junqueira terá de voltar para trás e seguir no sentido das águas. Tenha em atenção que vai encontrar uma grande quantidade de derivações da levada, que levam a água a tanques de rega. A Levada Grande ou do Moinho é assim conhecida por, ao longo do seu trajeto, terem existido vários moinhos de água, dos quais ainda se encontram as ruínas de três (Moinho das Achadas, Moinho das Cancelas e Moinho da Levada Grande). Esta é uma levada de “heréus”, isto é, foi construída a expensas dos seus utilizadores, sendo que só eles tinham direito ao seu uso. O trilho termina no sítio do Tornadouro, na Junqueira, onde a levada se ramifica.

Vereda das 25 Fontes e Levada do Risco

Dificuldade
Médio
Distância:
4,6 km (+ 4,6 km de regresso)
Duração:
3h
Descrição:

Acede-se aos dois trilhos pela estrada regional E.R. 110 e descendo depois até à casa de abrigo do Rabaçal. Os trilhos seguem por duas levadas paralelas, localizadas a diferentes cotas. O trilho PR 6.1 acompanha a Levada do Risco, a 1000 m de altitude, levando o caminhante a uma impressionante queda de água, que cai na vertical formando um risco na rocha. Se descer ao PR 6, poderá visitar a Lagoa das 25 Fontes, formada pelas águas que descem do Paúl da Serra onde poderá contar mais de 25 fontes. A esta cota predomina o Urzal de Altitude (Erica arborea e Erica scoparia ssp maderensis) e a Uveira da Serra (Vaccinium padifolium). Também se destaca a presença do raro Mocano da Serra (Pittosporum coriaceum). Estas espécies integram a floresta Laurissilva da Madeira, classificada como Património Mundial Natural pela UNESCO. As duas levadas recolhem as águas dos afluentes da Ribeira Grande e vão alimentar a central hidroelétrica da Calheta, seguindo depois para rega de campos agrícolas.